Como escolher iluminação para casa

Você sabia que a lâmpada incandescente foi inventada em 1879, por Thomas Edison?

Desde então utilizamos as lâmpadas para iluminar ambientes, e desde então foram evoluindo. Hoje temos diversos tipos de lâmpadas, de diversos formatos e para cada tipo de ambiente e ocasião.

Vamos conhecer alguns.

Tipos de lâmpadas

Hoje em dia, evoluímos tanto, que as lâmpadas incandescentes nem são mais fabricadas, já que eram liberavam mais danos ao meio ambiente e tinham vida útil curta.

Hoje as lâmpadas encontradas são de led, halogênio ou fluorescentes.

Fluorescentes: o tipo mais comum, encontradas em vários lares ou locais públicos, foi inventada em 1938. Elas consomem apenas 80% de energia e vida útil de 24 mil horas. Elas podem ser encontradas coloridas ou luzes amarelas, nos modelos compactas e tubulares. Elas funcionam ionizando átomos de agonio e vapor de mercúrio. Os átomos ionizados são acelerados pela diferença de potencial e emitem ondas eletromagnéticas.

Halogênio: tipo de lâmpada incandescente e que ainda pode ser vendido no Brasil pois está fora da potência 41 e 60W, não oferecendo risco. Ela acende com uso de um halogênio como bromo ou iodo. Utilizada em ambientes com design industrial ou ambientes rústicos, possuem fatores decorativos, sendo geralmente utilizadas em luminárias. Essas lâmpadas mais eficientes e podem durar até 5000 horas.

Filamento: decorativas, são parecidas com as lâmpadas incandescentes, mas feitas em formatos diferenciados. Não são tão econômicas ou eficientes para iluminar, elas conferem um charme especial para uma área. A corrente flui através dos filamentos, aquece e libera os elétrons, que em contato com argônio e vapor de mercúrio, ionizan o gás e emitem fótons.

LED: a evolução das lâmpadas domésticas, são bonitas e eficientes. Contribuem para a redução de consumo de energia entre 80 e 90%, além de terem longa vida útil. As lâmpadas de led utilizam diodo como emissor de luz, podendo acender milhares de vezes sem queimas. Elas geram uma carga térmica ao converter eletricidade em luz, e não emitem infravermelhos.

Como escolher a lâmpada correta para cada ambiente?

Considere sempre o espaço e ambiente, além das fontes de luz natural. Após, analise se o ambiente será mais bem iluminado com luzes diretas, com o uso de plafons e spots, ou luzes indiretas, como luminárias e arandelas, por exemplo. Então pense quanto tempo as luzes ficarão acesas, para que se pense em investir numa lâmpada de led, já que o custo-benefício será melhor, pela sua duração.

Além disso, as lâmpadas de led são econômicas e de quebra, ajudam o meio ambiente, já que são livres de componentes químicos e recicláveis.

Diferença entre luz e iluminação

Os temos são muito parecidos e causam confusão, mas o que é cada um?

Iluminância é a luz que sai de uma luminária, sendo projetada em uma superfície. A luminância é a luz refletida na superfície e vinda aos olhos.

Como calcular iluminância e luminância?

Iluminância: representado pelo símbolo E e está relacionado ao fluxo luminoso na direção vertical. A unidade de medido é a lux (lx), podendo ser medida pelo luxímetro. Um lux é igual a um lúmen por metro quadrado. A luminância não pode ser vista.

Luminância: a unidade de medida é o Sistema Internacional (SI) e o método de cálculo é o número de candelas por metro quadrado. A sensação de claridade é a luminância, indicando quanta energia de luz o olho pode receber, e será medida por um espectrorradiômetro, colorímetro ou medidor de luminância.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.